Como funciona o viagra e quais são os riscos para saúde?

Não tem nada pior do que perder a ereção na metade do sexo! Mesmo sem saber como funciona o viagra, recorrer a esse medicamento é a solução que muitos homens encontram para melhorar o desempenho sexual.

A verdade é que a famosa pílula azul pode até garantir um tempo maior de ereção nos primeiros usos, mas em troca de uma série de reações adversas que podem ser muito perigosas para a saúde.

Preparamos este post para explicar o que é o viagra e quais as consequências do seu uso. No final, ainda daremos dicas de tratamentos alternativos e mais saudáveis para o seu problema de ereção. Curioso? Então acompanhe:

O QUE É O VIAGRA?

Os homens desenvolvem desde a adolescência um medo enorme de falhar na hora do sexo. “Brochar” é sinônimo de ser incompetente na cama — um motivo de grande constrangimento na relação.

Mas verdade seja dita: não existe ninguém que não tenha passado por uma situação dessas pelo menos uma ou duas vezes na vida. Todos os homens estão sujeitos a eventualmente não conseguir manter a ereção.

Apesar disso, depois de milhares de anos jogando toda essa pressão nas costas masculinas, o mal já está feito! É por isso que a indústria farmacêutica lucra tanto com os “azulzinhos”, que prometem resolver o problema de ereção.

Estima-se que a venda de viagra represente nada mais nada menos do que 36% do total de medicamentos comercializados no Brasil. Muita coisa, não é?

Se ele simplesmente contribuísse para a manutenção de uma ereção, estaria tudo bem. Afinal, qual é o mau em querer que o sexo dure mais tempo? O problema é que a pílula azul pode ser uma grande vilã da saúde.

Como ele age?

Você sabe como funciona o viagra? Ele contém uma substância chamada sildenafil, em doses que variam de 25 a 100 mg por comprimido.

Geralmente a embalagem é vendida com duas ou quatro pílulas, que começam a surtir efeito cerca de 30 minutos após a ingestão. A ereção acontece porque o sildenafil contribui para o aporte de sangue na região do pênis.

Principalmente em decorrência da idade, os vasos sanguíneos tendem a ficar mais estreitos. O viagra inibe um pouco este efeito, facilitando a circulação peniana e possibilitando a ereção por até 8 horas.

Quais as suas consequências?

Eu sei, parece que esse remédio é a solução para todos os seus problemas. Mas, infelizmente, nem tudo são flores. O uso da pílula azul está relacionado a uma série de efeitos colaterais negativos para a saúde, como:

  • problemas no coração;
  • vermelhidão na pele;
  • dores de cabeça;
  • priapismo ou ereção dolorosa;
  • visão turva;
  • sensibilidade aumentada à luz;
  • palpitações;
  • vômitos.

Além disso, o viagra está ligado a um agravamento da disfunção erétil, isso porque seu uso contínuo pode levar a um quadro de dependência da substância sidenafil, fazendo com que o pênis só fique ereto com o auxílio do medicamento.

Muitas causas podem estar ligadas à dificuldade de manter uma ereção, desde a ansiedade e a depressão até o estreitamento dos vasos sanguíneos do pênis. A boa notícia é que a maioria desses fatores pode ser amenizada com tratamentos mais saudáveis.

EXISTEM SOLUÇÕES MELHORES QUE O VIAGRA?

Dentre as alternativas ao uso da pílula azul estão os exercícios físicos específicos, o gel transdérmico e até mesmo a ingestão de alguns alimentos que melhoram a circulação sanguínea na área peniana.

Confira quais são as melhores formas de lidar com esse problema sem recorrer ao viagra:

Exercícios físicos

Existem alguns exercícios físicos específicos que contribuem para a circulação da região peniana e, consequentemente, para a manutenção de uma ereção.

Um deles é o exercício de Kegel — o mesmo indicado para mulheres grávidas para facilitar na hora do parto. Mas, calma, não é nada muito complicado!

Basta você fazer um movimento como se estivesse interrompendo o jato de urina. Mantenha o pênis dessa forma por alguns segundos, solte e repita o processo mais algumas vezes. Faça várias sessões ao dia.

Esse exercício funciona porque fortalece o músculo pélvico, importantíssimo na dinâmica da ereção. Atenção: não é indicado interromper a urina de verdade devido ao risco de desenvolver infecções, apenas faça o mesmo movimento.

Terapia

Se o seu problema de ereção tem origem emocional ou psicológica, a terapia pode ser um tratamento muito útil.

Os especialistas conseguem identificar as raízes da falta de libido e oferecer suporte profissional, além de auxiliarem na melhora da relação com sua parceira ou parceiro.

Injeção peniana

O tratamento com injeção peniana consiste em algumas aplicações de substâncias que estimulam a circulação sanguínea diretamente no pênis. Essas aplicações devem acontecer alguns minutos antes da relação sexual.

Esse método é bastante invasivo, e por isso não faz muito sucesso entre a população masculina. A grande vantagem é que o conteúdo da injeção faz efeito sem que seja preciso algum tipo de esforço imaginativo do homem para estimular seu órgão sexual.

Caneta peniana

Uma opção melhor para o tratamento da disfunção erétil é o uso da caneta de Alprostadil, oferecido pela Androtech. Ela tem o mesmo composto que tem na injeção peniana, mas a forma de aplicação é diferente.

Esse é um tratamento mais eficaz, pois é administrado em creme ou pomada e aplicado com uma caneta Airless Pen (com ponta flexível em silicone). Não causa dor e nem o efeito adverso de uma injeção peniana.

Por isso, um pouco da pressão em conseguir chegar à ereção vai embora e o sexo se torna mais tranquilo e prazeroso.

Spray e pastilhas sublinguais

Esse é um dos tratamentos mais inovadores para quem tem dificuldade em manter uma ereção. O spray e a pastilha sublingual trabalham de formas semelhantes, liberando um medicamento por meio de micropartículas que auxiliam na circulação peniana.

A vantagem desses dois produtos é que não possuem efeitos colaterais como o viagra e outras pílulas desse segmento. Além disso, pelo fato de serem aplicados embaixo da língua, têm uma absorção muito mais rápida pelo organismo.

Gel transdérmico

O gel transdérmico pode ser aplicado diretamente na pele do pênis. O medicamento contido em sua fórmula permeia o tecido cutâneo e atinge rapidamente a corrente sanguínea.

Por não se utilizar da via oral, o gel transdérmico não afeta de nenhuma maneira o trato gastrointestinal ou o funcionamento hepático — ocorrências comuns no uso de outros remédios.

Esses tratamentos são muito mais benéficos para a saúde e garantem a solução para o seu problema de ereção, mesmo sem o auxílio de medicamentos agressivos para a saúde.

Agora que você já sabe como funciona o viagra e quais os perigos do seu uso, que tal curtir nossa página no Facebook para ficar sempre atualizado sobre assuntos que podem melhorar a sua vida sexual? Até mais!

WhatsApp chat Chame no WhatsApp